Quem não gosta de uma roupa de qualidade com um preço barato?

Com a globalização e a crescente facilidade de realizar compra de roupas pela internet, principalmente importando de países subdesenvolvidos, encontramos inúmeras ofertas de roupas para todos os gostos e com preço que as vezes é até difícil de acreditar.

Fazemos compras e esquecemos que para aquele custo ser tão baixo, alguém teve que pagar um preço, que geralmente é bem mais caro do que imaginamos.

Em um mundo em que se estima que há 29,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão, e que só na índia há quase duas vezes a população do Paraguai trabalhando de forma escrava, as vezes acabamos virando a cabeça, por um pouco de comodidade e um trocado economizado no fim do mês. (Fonte: Agência Brasil)

Porém, essa realidade não acontece apenas quando realizamos compras diretamente destes países. Ela está presente também no Shopping, nas lojas de grife, bem pertinho de nós.

Algumas lojas, como forma de reduzir custos, terceirizam toda sua produção para outros países. É até fácil afirmar que alguma peça de roupa que estamos vestindo agora, de uma loja Brasileira, tem escrito: “Made in China.”

Então chegamos ao dilema, o que podemos fazer a partir de agora para não apoiar o trabalho escravo?

Primeiramente podemos ficar de olho nos noticiários. A Justiça do Trabalho e o Governo estão frequentemente aplicando multas e penalidades para empresas que utilizam este artificio. Já é um bom lugar para começar.

Há também o Aplicativo “Moda Livre”, fruto do trabalho da ONG Reporter Brasil, que cataloga as principais lojas de roupas que atuam no Brasil e dão uma nota relacionadas a qualidade dos empregados. Saiba mais:

Já está no ar a mais recente atualização do aplicativo Moda Livre. Disponível gratuitamente para Android e iPhone, o APP apresenta de forma ágil e acessível as medidas que as principais marcas e varejistas de roupa do país vêm tomando para evitar que as peças vendidas a seus clientes sejam produzidas por trabalho escravo. Lançado em dezembro de 2013, o app foi desenvolvido pela ONG Repórter Brasil, referência nacional na defesa dos direitos humanos.

O App está disponível na loja da Apple e no Google Play e roda nos sistemas operacionais iOs 5+ e Android 4+. Pode ser encontrado com os termos de busca “moda livre” e “moda livre repórter brasil” ou através dos links na Apple Store e no Google Play.

Acredito que cada um contribuindo, podemos mudar a realidade das milhões de pessoas, que em pleno 2015 e em um mundo que se diz preocupado com os Direitos Humanos, ignoramos o fato que ainda existe Trabalho Escravo. Façamos cada um o seu pouco, criando consciência e realizando pesquisas antes de comprar, quem sabe nossos filhos e netos vivam em mundo em que o Trabalho Escravo seja realmente coisa do passado.

diegocastro

Compartilhar com amigos:

Leia também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário