O caso da 123 Milhas e a responsabilidade dos anunciantes

Relatório aborda os desafios enfrentados pelos consumidores da 123 Milhas durante a pandemia

Um relatório recente analisou os problemas enfrentados pelos consumidores da empresa 123 Milhas, que buscavam pacotes turísticos econômicos antes da pandemia. Embora a intenção da empresa fosse popularizar viagens nacionais e internacionais, a continuidade das vendas durante esse período arriscado resultou em uma série de problemas para os consumidores, incluindo cancelamentos e falta de reembolsos.

De acordo com pesquisas, os consumidores agora estão mais cautelosos ao planejar suas viagens. Eles preferem pacotes de curta distância, como turismo local que pode ser feito de carro, ou pacotes que ofereçam maior contato com a natureza ou entretenimento cultural. Viagens mais longas ainda são uma opção, mas dependem de fatores como disponibilidade de rotas, preços do combustível para aviões e serviços turísticos no destino.

A Organização Mundial do Turismo (OMT) prevê que em 2022, apenas 65% dos níveis pré-pandemia serão alcançados, chegando a apenas 80% em 2023. Nesse cenário desafiador, manter ofertas promocionais pode ser arriscado para todas as empresas do setor. A 123 Milhas optou por continuar com seu modelo de negócio, reconhecendo a importância do preço nas decisões dos consumidores.

No entanto, atribuir o comportamento do mercado como justificativa para evitar responsabilidades não é suficiente. Durante a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre Esquemas Piramidais, realizada em setembro de 2023, o sócio da empresa, Ramiro Júlio Soares Madureira, utilizou essa argumentação. No entanto, é importante destacar que os consumidores não são exclusivamente culpados nessa situação.

O caso da 123 Milhas expõe os riscos enfrentados pelos consumidores no mercado de turismo durante a pandemia. A mudança no comportamento do consumidor e as incertezas quanto à disponibilidade de serviços turísticos devem ser consideradas pelas empresas ao oferecer pacotes promocionais. É fundamental atribuir responsabilidades aos anunciantes e garantir a proteção dos direitos dos consumidores. O mercado precisa estar ciente das mudanças nas preferências do consumidor e agir de forma responsável para evitar prejudicá-los.

Relatório: Questões relacionadas à responsabilidade dos anunciantes e os problemas enfrentados pelos consumidores no caso da empresa 123 Milhas
Introdução
Este relatório aborda a questão das garantias para o consumidor no caso da empresa 123 Milhas. A intenção da empresa era oferecer pacotes turísticos econômicos, popularizando viagens nacionais e internacionais antes da pandemia. No entanto, a continuidade das vendas durante esse período arriscado levou a uma série de problemas para os consumidores, desde cancelamentos até a falta de reembolso.
Situação atual e mudanças no comportamento do consumidor
Pesquisas indicam que os consumidores agora agem com mais cautela ao planejar suas viagens. Eles optam por pacotes de curta distância, como turismo local, que podem ser feitos de carro, bem como pacotes com maior contato com a natureza ou entretenimento cultural. Viagens mais longas não desapareceram completamente, mas dependem de uma série de fatores, como disponibilidade de rotas, preços do combustível para aviões e serviços turísticos no destino.
Riscos inerentes às ofertas promocionais
A Organização Mundial do Turismo (OMT) prevê que em 2022 apenas 65% dos níveis pré-pandemia serão alcançados, chegando a apenas 80% em 2023. Manter ofertas promocionais durante esse período é um risco enfrentado por todas as empresas do setor. A 123 Milhas optou por continuar com seu modelo de negócio, reconhecendo o papel crucial do preço nas decisões dos consumidores.
Responsabilidade dos anunciantes e justificativas insuficientes
Atribuir o comportamento do mercado como justificativa para evitar responsabilidades não é suficiente. Durante a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre Esquemas Piramidais, realizada em setembro de 2023, o sócio da empresa, Ramiro Júlio Soares Madureira, utilizou essa argumentação. No entanto, é importante destacar que os consumidores não são exclusivamente culpados nessa situação.
Conclusão
O caso da empresa 123 Milhas expõe os riscos enfrentados pelos consumidores no mercado de turismo durante a pandemia. A mudança no comportamento do consumidor e as incertezas quanto à disponibilidade de serviços turísticos são fatores a serem considerados pelas empresas ao oferecer pacotes promocionais. Ao atribuir responsabilidades aos anunciantes, é fundamental garantir a proteção dos direitos dos consumidores. O mercado precisa ser consciente das mudanças nas preferências do consumidor e agir de forma responsável para evitar prejudicá-los.

Com informações do site ConJur.

Categorizado em: