Aumento da criminalidade preocupa na Amazônia

O aumento constante da criminalidade na Amazônia tem se tornado uma preocupação crescente nos últimos tempos. A região tem servido como refúgio para diversas gangues criminosas, incluindo o PCC e o CV, além de organizações estrangeiras. Esse fenômeno tem resultado em um alarmante aumento da violência.

Violência e crimes ambientais

De acordo com dados recentes do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a taxa de homicídios intencionais na Amazônia foi 33,8 por cada 100.000 habitantes no ano passado, sendo 45% maior do que a média nacional. O estudo também revelou que os conflitos entre gangues estão afetando quase um terço da população na Amazônia.

Além da violência, essas gangues têm alimentado crimes ambientais, como desmatamento e incêndios florestais, que alcançaram níveis recordes no Amazonas no ano passado.

Localização geográfica estratégica

A pesquisadora Aiala Colares Couto, membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, destaca que a localização geográfica estratégica é um dos principais atrativos para o crime organizado na Amazônia. Os estados do Amazonas, Pará e Amapá são rotas importantes para o tráfico de drogas, especialmente cocaína produzida na Colômbia, Peru e Bolívia.

Presença de gangues estrangeiras

As ameaças à segurança na Amazônia não se restringem apenas aos brasileiros. Gangues estrangeiras, como dissidentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), também têm presença na região. No entanto, o Comando Vermelho e o PCC são os grupos mais presentes em todos os estados da Amazônia.

Impacto na população local

Cerca de 178 dos 772 municípios que compõem a região legal da Amazônia Florestal registram a presença de gangues criminosas. Essa realidade impacta mais da metade dos aproximadamente 26 milhões de habitantes da área, aumentando sua sensação de insegurança.

Além do tráfico de drogas, as gangues também controlam e extorquem aqueles envolvidos em crimes ambientais. Portanto, o avanço do crime organizado na Amazônia não apenas representa desafios para a segurança pública, mas também tem implicações para as políticas ambientais.

Resumo da Notícia
O aumento da criminalidade na Amazônia tem se tornado uma preocupação crescente.
A taxa de homicídios intencionais na Amazônia foi 33,8 por cada 100.000 habitantes no ano passado.
Conflitos entre gangues afetam quase um terço da população na região.
Crimes ambientais, como desmatamento e incêndios florestais, também têm aumentado.
A localização geográfica estratégica é um dos principais atrativos para o crime organizado.
Gangues estrangeiras, como dissidentes das FARC, também têm presença na região.
O Comando Vermelho e o PCC são os grupos mais presentes na Amazônia.
Cerca de 178 municípios na Amazônia registram a presença de gangues criminosas.
Mais da metade dos habitantes da Amazônia se sentem inseguros.
O crime organizado também afeta as políticas ambientais na região.

Com informações do site UOL Notícias.

Categorizado em: