Pagamento extra para aposentados do INSS? SIM! Veja quem recebe

O Conselho da Justiça Federal (CJF) disponibilizou um montante total de 2,1 bilhões de reais em pagamentos atrasados de benefícios concedidos ou revisados por meio de processos judiciais pelo INSS.

Os pagamentos visam solucionar as chamadas Requisições de Pequeno Valor (RPVs), que incluem uma variedade de benefícios como pensões, aposentadorias, auxílios-doença, entre outros.

As RPVs são valores determinados por decisões judiciais que obrigam o INSS a efetuar os pagamentos. Cada entidade responsável pela dívida tem o poder de estabelecer um valor para essas solicitações, desde que esse valor não seja inferior ao benefício mais alto do Regime Geral da Previdência Social.

Atualmente, no processo de pagamento do INSS, as RPVs englobam casos em que o valor máximo é equivalente a 60 vezes o salário mínimo. Com essa abordagem, um total de 84.091 processos e 109.403 segurados serão beneficiados.

Para receber o pagamento, é necessário que o beneficiário consulte o site do Tribunal Regional Federal (TRF) correspondente à sua área geográfica ou entre em contato com seu advogado responsável pelo caso.

Em São Paulo e Mato Grosso do Sul, por exemplo, as informações podem ser consultadas no site do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região): trf3.jus.br. Ademais, é possível entrar em contato com o advogado para verificar a disponibilidade dos valores nesse lote.

Estima-se que essa etapa será concluída, incluindo a abertura de contas, atualização do sistema e comunicação aos juizados.

Durante a consulta, o aposentado deve fornecer seu CPF ou o número de registro OAB de seu advogado. O segurado poderá visualizar o valor a ser depositado pelo tribunal acessando o campo “Valor inscrito na proposta”. No entanto, é importante ressaltar que esse valor pode passar por correção conforme a data de pagamento.

Assim que for liberada pelo TRF, após passar pela etapa denominada processamento, a quantia será creditada na conta bancária do beneficiário no Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal, sendo registrado em nome do próprio aposentado ou de seu advogado.

Resumo da Notícia
Pagamentos atrasados de benefícios concedidos ou revisados por meio de processos judiciais pelo INSS serão realizados em um total aproximado de 1,8 bilhão de reais.
As RPVs são valores determinados por decisões judiciais que obrigam o INSS a efetuar os pagamentos.
Atualmente, no processo de pagamento do INSS, as RPVs englobam casos em que o valor máximo é equivalente a 60 vezes o salário mínimo.
Um total de 84.091 processos e 109.403 segurados serão beneficiados.
O Conselho da Justiça Federal (CJF) disponibilizou um montante total de 2,1 bilhões de reais em RPVs, incluindo aquelas relacionadas aos pagamentos alimentares e ajustes salariais para servidores públicos.
Para verificar se é possível receber o pagamento, é necessário que o beneficiário consulte o site do TRF correspondente à sua área geográfica ou entre em contato com seu advogado responsável pelo caso.
Em São Paulo e Mato Grosso do Sul, por exemplo, as informações podem ser consultadas no site do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região): trf3.jus.br.
O segurado poderá visualizar o valor a ser depositado pelo tribunal acessando o campo “Valor inscrito na proposta”.
Assim que for liberada pelo TRF, a quantia será creditada na conta bancária do beneficiário no Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal.

Com informações do site Jornal Contábil.

Categorizado em: