Um a cada oito minutos: Brasil registra 34 mil estupros no 1º semestre de 2023, aponta relatório

No primeiro semestre de 2023, o Brasil registrou um alarmante número de casos de violência sexual, totalizando aproximadamente 34.000 ocorrências, de acordo com um relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Esse número representa um aumento significativo de 14,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os casos de agressões sexuais contra meninas e mulheres ocorreram a uma média impressionante de uma ocorrência a cada oito minutos. Além disso, o relatório também revelou incremento de 2,6% nos homicídios baseados em gênero e feminicídios no país durante o mesmo período.

Esse aumento na violência pode estar relacionado a um maior entendimento sobre o tema da violência sexual e também ao aumento da visibilidade dos casos, como o polêmico incidente envolvendo a influenciadora Mariana Ferrer em 2018.

Quando analisadas por região, observa-se que o Sul teve o maior crescimento nas violações sexuais, com um aumento de 32,4%, seguido pelo Norte com 25% e Nordeste com 13,2%. A região Centro-Oeste teve um incremento de 9,7% e a Sudeste apresentou crescimento mais modesto, com 4,8%.

É preocupante constatar que a maioria das vítimas desse tipo de crime são crianças e que os abusos geralmente ocorrem dentro de suas próprias residências cometidos por pessoas próximas ou membros da própria família. Além disso, cerca de 74,5% dos casos se referem a violações sexuais envolvendo pessoas vulneráveis, como menores de 14 anos ou indivíduos incapazes de dar consentimento devido a doenças ou deficiências mentais.

No entanto, é importante destacar que esses números podem estar subnotificados, uma vez que muitas vítimas não denunciam os casos às autoridades competentes.

Além disso, os dados mostram que os casos de homicídios com motivação de gênero têm aumentado nos últimos anos. No primeiro semestre de 2023, foram registradas 722 mortes desse tipo no país, superando as 704 mortes ocorridas no mesmo período em 2022, representando um aumento de 2,6%. Entre o primeiro semestre de 2019 e o primeiro semestre de 2023, houve um incremento significativo de 14,4% no número desses casos.

A região Sudeste foi a única que apresentou aumento nesse tipo de crime, com 273 vítimas e uma variação de 16,2%. O estado de São Paulo teve o maior crescimento nessa estatística, com um incremento alarmante de 33,7%, passando de 83 casos para 111 em relação ao ano anterior.

Os feminicídios também tiveram um aumento durante o primeiro semestre deste ano. Esses crimes aumentaram em torno de 2,6% e chegaram ao total preocupante de 1.902 casos. No entanto, é importante ressaltar que a classificação adequada dos crimes baseados em gênero ainda pode ser um desafio para os estados brasileiros na investigação policial e no sistema judicial.

Deve-se mencionar também que doze estados mostraram redução nos homicídios baseados em gênero. Embora seja um dado positivo, é fundamental que sejam adotadas medidas mais efetivas para combater essa violência generalizada contra as mulheres no Brasil.

Em suma, o relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou números alarmantes de casos de violência sexual, homicídios baseados em gênero e feminicídios no primeiro semestre de 2023 no Brasil. Esses dados evidenciam a urgência da adoção de políticas e medidas para enfrentar essa grave questão social e resguardar a segurança das mulheres no país.

Notícia
No primeiro semestre de 2023, o Brasil registrou um alarmante número de casos de violência sexual, totalizando aproximadamente 34.000 ocorrências, de acordo com um relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).
Esse número representa um aumento significativo de 14,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.
Os casos de agressões sexuais contra meninas e mulheres ocorreram a uma média impressionante de uma ocorrência a cada oito minutos.
O relatório também revelou incremento de 2,6% nos homicídios baseados em gênero e feminicídios no país durante o mesmo período.
Quando analisadas por região, observa-se que o Sul teve o maior crescimento nas violações sexuais, com um aumento de 32,4%, seguido pelo Norte com 25% e Nordeste com 13,2%.
A região Centro-Oeste teve um incremento de 9,7% e a Sudeste apresentou crescimento mais modesto, com 4,8%.
A maioria das vítimas desse tipo de crime são crianças e os abusos geralmente ocorrem dentro de suas próprias residências cometidos por pessoas próximas ou membros da própria família.
Cerca de 74,5% dos casos se referem a violações sexuais envolvendo pessoas vulneráveis, como menores de 14 anos ou indivíduos incapazes de dar consentimento devido a doenças ou deficiências mentais.
Os dados mostram que os casos de homicídios com motivação de gênero têm aumentado nos últimos anos.
No primeiro semestre de 2023, foram registradas 722 mortes desse tipo no país, superando as 704 mortes ocorridas no mesmo período em 2022, representando um aumento de 2,6%.
A região Sudeste foi a única que apresentou aumento nesse tipo de crime, com 273 vítimas e uma variação de 16,2%.
Os feminicídios também tiveram um aumento durante o primeiro semestre deste ano.
Esses crimes aumentaram em torno de 2,6% e chegaram ao total preocupante de 1.902 casos.
Doze estados mostraram redução nos homicídios baseados em gênero.
Em suma, o relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou números alarmantes de casos de violência sexual, homicídios baseados em gênero e feminicídios no primeiro semestre de 2023 no Brasil.

Com informações do site G1.

Categorizado em: