INSS reduz gastos em R$12,5 bilhões para próximo ano

O Conselho Nacional de Seguridade Social (CNPS) anunciou uma redução de R$12,5 bilhões nos gastos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para o próximo ano. A medida levanta questionamentos sobre como essa economia será feita e se afetará os beneficiários.

No total, o INSS terá um orçamento de R$897,7 bilhões para o próximo ano. É importante ressaltar que esse valor representa uma quantia significativa quando calculado por dia, por hora e por mês. Isso desmistifica a ideia de que o INSS nega ajuda aos que buscam seus serviços.

O relatório do CNPS levanta dúvidas sobre as revisões de benefícios do INSS. Será que o Instituto comete tantos erros ou há uma grande quantidade de fraudes? O Tribunal de Contas da União já exigiu revisões e indicou cortes feitos pelo CNPS, mas o Tribunal de Contas Federais não possui dados para quantificar possíveis irregularidades nos benefícios.

As deficiências no funcionamento da Seguridade Social são amplamente conhecidas. A necessidade de modernização da Lei nº 8.213, que trata da organização do sistema, é um exemplo disso, mas foi revogada. Sem um registro e sem modernização, não há controle adequado nem possibilidade de revisões bem-sucedidas.

É preciso questionar se houve alguma tentativa de sincronizar os dados do registro único do Sistema Único de Saúde com os do INSS, para solucionar esse problema antes que se torne motivo para uma nova reforma que diminua os benefícios dos beneficiários.

A maioria dos beneficiários do INSS recebe o equivalente ao salário mínimo e todos eles têm direito a esses benefícios, que são financiados pelos trabalhadores e pelas empresas. Portanto, as revisões não devem ser temidas, mas sim garantir os direitos dos beneficiários e investigar possíveis concessões indevidas.

Em suma, o relatório destaca que as revisões de benefícios buscam promover justiça social e não apenas economizar dinheiro. Porém, é estranho o corte repentino no orçamento atualmente, considerando a excelência anteriormente caracterizada pela maquinaria administrativa da Seguridade Social.

Resumo da Notícia
O Conselho Nacional de Seguridade Social (CNPS) é responsável por garantir a democracia e transparência na administração da Seguridade Social.
O CNPS conseguiu reduzir os gastos em R$12,5 bilhões em poucos dias para o próximo ano.
Há atrasos nos benefícios do INSS, apesar dos esforços realizados.
Para o próximo ano, serão pagos R$897,7 bilhões pelo INSS.
Questiona-se se o INSS comete muitos erros ou se tornou um “reino de fraudes”.
O Tribunal de Contas Federais não possui dados para quantificar possíveis irregularidades nos benefícios.
As principais causas de deficiências no funcionamento da Seguridade Social são conhecidas e apontadas diversas vezes.
A modernização da Lei nº 8.213 é necessária para melhorar o sistema.
Não houve tentativa de sincronizar os dados do registro único do Sistema Único de Saúde com os do INSS.
A maioria dos beneficiários do INSS recebe o salário mínimo e todos têm direito a esses benefícios.
As revisões de benefícios visam promover justiça social, não economizar dinheiro.
Existe estranheza em relação ao corte repentino no orçamento atualmente.

Com informações do site Correio Braziliense.

Categorizado em: