Sérgio Moro afirma que ‘o crime organizado se sente confortável no Governo Lula’

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, levantou preocupações em relação à presença de indivíduos ligados a grupos criminosos no Ministério da Justiça, considerando isso como uma situação “muito estranha”. Segundo o jornal Estadão, um membro do Comando Vermelho teve reuniões com assessores do ministro Flávio Dino, gerando questionamentos sobre a segurança dentro da instituição.

Moro ressaltou a vulnerabilidade do Ministério da Justiça durante a gestão do PT, sugerindo que essa situação propicia visitas incomuns por parte dessas organizações criminosas. Ele destacou a importância de tornar públicas as agendas das reuniões realizadas e esclarecer as medidas concretas resultantes desses encontros.

Uma figura chamada Luciane Barbosa Farias, conhecida como a “rainha do tráfico amazônico” e esposa do líder Tio Patinhas, foi identificada como uma das participantes dessas reuniões não divulgadas. Moro ressaltou a necessidade de manter o controle de acesso ao prédio do Ministério implementado durante seu mandato para evitar situações como essa. Ele questionou por que pessoas vinculadas a grupos criminosos se sentem à vontade para visitar o órgão.

O ex-ministro criticou a falta de cuidado do governo atual na realização de verificações de antecedentes adequadas e controle de acesso efetivo. Para ele, essa negligência reflete uma falta de compromisso com a segurança pública. Moro enfatizou ainda a necessidade de explicações mais precisas por parte do Ministério, bem como a urgência de revisar os procedimentos e adotar políticas públicas rigorosas contra organizações criminosas.

Além disso, nas redes sociais, Moro adotou um tom sarcástico ao comentar sobre o caso, ironizando o fato de que durante sua gestão, os criminosos eram recebidos em Brasília, mas enviados diretamente para prisões federais. Essa observação teve a intenção de destacar a abordagem de Moro no controle e na segurança durante seu mandato como ministro.

Em resumo, Sergio Moro manifestou preocupação com a presença de pessoas ligadas a grupos criminosos no Ministério da Justiça. Ele ressaltou a vulnerabilidade do órgão durante o governo passado e enfatizou a importância de divulgar as agendas das reuniões e esclarecer as medidas concretas resultantes desses encontros. Moro criticou a falta de cuidado do atual governo na realização de verificações de antecedentes e controle adequado de acesso, argumentando que essa negligência reflete uma falta de compromisso com a segurança pública. Ele também enfatizou a necessidade de explicações precisas por parte do Ministério e a urgência em revisar os procedimentos e adotar políticas públicas rigorosas contra organizações criminosas.

Resumo da Notícia
Ex-ministro Sergio Moro levanta preocupações sobre presença de indivíduos ligados a grupos criminosos no Ministério da Justiça
Membro do Comando Vermelho teve reuniões com assessores do ministro Flávio Dino, gerando questionamentos sobre segurança
Luciane Barbosa Farias, conhecida como “rainha do tráfico amazônico”, identificada como participante dessas reuniões não divulgadas
Moro destaca importância de divulgar agendas de reuniões e esclarecer medidas concretas resultantes
Critica falta de cuidado do governo atual em verificações de antecedentes e controle de acesso efetivo
Exige explicações precisas do Ministério e urgência em revisar procedimentos e adotar políticas públicas rigorosas contra organizações criminosas

Com informações do site Sérgio Moro afirma que ‘o crime organizado se sente confortável no Governo Lula’.

Categorizado em: