Impunidade na violência contra jornalistas atinge recorde histórico no Brasil

No início deste mês, ocorreu em Washington, Estados Unidos, um evento promovido pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (CIDH) e UNESCO para celebrar o Dia Internacional para pôr fim à Impunidade dos Crimes contra Jornalistas em 2 de novembro.

Durante o encontro, foram discutidos dados alarmantes sobre o assassinato de profissionais da imprensa nos últimos anos, revelando que mais de 1.600 jornalistas foram mortos nas últimas três décadas.

Segundo Tawfik Jelassi, Subdiretor Geral de Comunicação e Informação da UNESCO, a grande maioria desses crimes permanece sem solução até hoje, deixando os responsáveis impunes. Além disso, foram mencionados casos recentes de assassinatos de jornalistas palestinos, israelenses e libaneses.

A situação também preocupa no Brasil, onde um projeto em parceria com Repórteres Sem Fronteiras está investigando 17 casos de jornalistas assassinados sem resolução em 16 países. Um desses casos é o do brasileiro Pedro Palma, ocorrido no Rio de Janeiro.

De acordo com Evelien Wijkstra, diretora jurídica da organização não governamental Free Press Unlimited, a intenção é apresentar as conclusões dessa investigação para iniciar ações legais em conjunto com o Observatório Nacional contra a Violência contra Jornalistas e Comunicadores, implementado recentemente pelo governo brasileiro.

O observatório visa recuperar a confiança dos jornalistas e comunicadores no país diante do aumento da violência e restrição à liberdade de imprensa. A diretora ressaltou que o Brasil enfrenta atualmente um período sombrio onde os direitos humanos e a liberdade de imprensa estão sendo combatidos violentamente pelo próprio governo.

No evento, foram mencionados também casos de assédio judicial no Brasil, como a abertura de 144 processos legais contra jornalistas e veículos de comunicação, exemplificando a crescente onda de violência e intimidação enfrentada pelos profissionais da imprensa em várias partes do mundo.

Concluindo, o evento em Washington teve como objetivo conscientizar sobre a impunidade nos crimes contra jornalistas e destacar a necessidade de ações concretas para proteger a liberdade de imprensa e garantir justiça para aqueles que perderam suas vidas em busca da verdade.

A luta pela segurança dos jornalistas e o fim da impunidade continua sendo uma tarefa urgente e essencial para preservar os valores democráticos.

EventoInformações
LocalWashington, Estados Unidos
ObjetivoCelebrar o Dia Internacional para pôr fim à Impunidade dos Crimes contra Jornalistas
Dados preocupantesMais de 1.600 jornalistas mortos nas últimas três décadas
Situação na UcrâniaMais de 540 crimes contra jornalistas desde o início da invasão russa
Assassinatos no BrasilInvestigação de 17 casos de jornalistas assassinados sem resolução
Observatório NacionalIniciativa do governo brasileiro para combater a violência contra jornalistas
Assédio judicialAbertura de 144 processos legais contra jornalistas e veículos de comunicação
ConclusãoNecessidade de ações concretas para proteger a liberdade de imprensa e garantir justiça

Com informações do site HISTÓRICO, a impunidade na violência contra jornalistas atinge um recorde no Brasil.

Categorizado em: