Vereador defende prefeito e apoia parcelar dívida de FGTS e INSS em Cuiabá

No último dia 10, a Prefeitura da Capital, por meio de um projeto de lei encaminhado à Câmara Municipal, solicitou o pagamento parcelado de uma dívida no valor de R$ 165 milhões referente ao não repasse da Previdência Social e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pelos servidores públicos da Empresa Cuiabá de Saúde e do Fundo Único Municipal de Educação.

No pedido, a oposição criticou a administração do prefeito Emanuel Pinheiro, mas o vereador Luís Cláudio, aliado político do prefeito, minimizou tais críticas.

Luís Cláudio afirmou que o pedido está embasado legalmente e não significa um descumprimento por parte do município. Ele ressaltou que a situação está registrada no balanço e é natural que a solicitação seja feita na Câmara Municipal para obter autorização para o pagamento parcelado. O vereador defendeu Pinheiro e ressaltou que o objetivo é quitar essa dívida.

A aprovação desse pedido na Câmara Municipal é necessária e espera-se que ocorra na próxima sessão, agendada para quinta-feira (17). Luís Cláudio enfatizou que esse tipo de solicitação é comum tanto na administração pública quanto no setor privado. Ele ainda ressaltou seu retorno à Câmara Municipal após ocupar o cargo de Secretário de Governo de Emanuel Pinheiro durante mais de dois anos.

Luís Cláudio argumenta que o montante da dívida, no valor de R$ 165 milhões, foi impactado pela pandemia da Covid-19, pois a capital recebeu pacientes de todo o estado e houve falta de repasses do governo estadual para a Prefeitura de Cuiabá. Ele reforçou que o objetivo é quitar essa fatura e que irão analisar o tema com base na legalidade, ressaltando que, se a Câmara entender assim, aprovarão o pagamento parcelado.

Portanto, fica evidente a intenção da administração municipal em buscar uma solução para essa dívida através do pagamento parcelado, argumentando que é uma prática comum tanto no setor público quanto privado. Luís Cláudio defendeu que não se trata de um descumprimento e sim de uma vontade legítima de quitar essa dívida. Agora cabe aos vereadores decidirem sobre a aprovação do projeto e avaliar as melhores medidas para o município diante dessa situação financeira.

Resumo da Notícia
Prefeitura solicita pagamento parcelado de dívida de R$ 165 milhões
O projeto de lei foi encaminhado à Câmara Municipal
Dívida é referente ao não repasse da Previdência Social e do FGTS pelos servidores públicos
Oposição critica a administração do prefeito Emanuel Pinheiro
Vereador Luís Cláudio minimiza as críticas e defende o prefeito
Aprovação do pedido na Câmara Municipal é necessária e agendada para quinta-feira (17)
Luís Cláudio argumenta que a dívida foi impactada pela pandemia da Covid-19
Objetivo é quitar a dívida através do pagamento parcelado
Administração municipal busca uma solução para a situação financeira

Com informações do site Folhamax.

Categorizado em: